Arquivo de junho 21, 2013

The 2nd International Conference on Psycholinguistics of the National Association of the Postgraduate Program and Research of Humanities and Linguistics will happen from September 30th to October 05th of 2013 at the Universidade Federal da Paraíba, Brazil.

The event will keep, in a lesser extent, the same profile of the previous event which happened in 2010 at the UFRJ. This event aims to provide academic debates about the nowadays most important themes of Experimental Linguistics.

The second International Conference on Psycholinguistics will be attended by national and international researchers. Its structure is set up in conferences, round tables, posters and mini-courses which will approach several topics such experimental methodologies, language processing by L2 learners, theoretical processing models, as well as opportunities to one show and argue about researches that are being developed by his or her laboratories.

With this organization the event intent to attend as teachers and reasearches’ interests both undergraduate and postgraduate students ones. The event also aims to support researches in this area that that keep itself developing, growing and aging at the national scenario.

DEADLINES

Abstract Submissions: June 30, 2013

Notification of Acceptance: July 30, 2013

Payment after Notification of Acceptance: August 1, 2013 – September 15, 2013

Registration – Audience: September 30, 2013

Workshops: September 30, 2013

Conference Dates: September 30, 2013 – October 5, 2013

For more information about  the 2nd International Conference on Psycholinguistics of the National Association of the Postgraduate Program and Research of Humanities and Linguistics, please open the following link: http://www.cchla.ufpb.br/clv/eventosgtpsico/anpoll/index.php.

The event will happen from September 30th to October 5th at the Universidade Federal da Paraíba which is located in João Pessoa, Brazil.

The event is an important contact and interchange instrument between Language Acquisition researches all over the world taking into account as their geographic-academic origins either their theoretical-methodological ones.

The third  International Conference on Language Acquisition will be attended by national and international researchers. The event is set up in conferences, round tables, coordinated-sessions, mini-courses and book launches.

DEADLINES

Abstract Submissions: June 30, 2013

Notification of Acceptance: July 30, 2013

Payment after Notification of Acceptance: August 1, 2013 – September 15, 2013

Registration – Audience: September 30, 2013

Workshops: September 30, 2013

Conference Dates: September 30, 2013 – October 5, 2013

For more information about  the 3rd International Conference on Language Acquisition, please open the following link: http://www.cchla.ufpb.br/clv/eventosgtpsico/enal/index.php

LINGUÍSTICA APLICADA: O CAMPO E SUAS APLICAÇÕES NO BRASILUFOPImagem1


DIAS 24 E 25 DE JULHO DE 2013
MARIANA/MG
UFOP – ICHS – LETRAS

INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 12 DE JULHO!!

As inscrições acontecerão por via do V Seminário de Atividades Acadêmicas do Departamento de Letras/UFOP.

O email para informações e inscrições é
vseminarioletras@yahoo.com.br

Inscrições gratuitas como parte da programação da Semana de Atividades.

Modalidades de inscrição

INSCRIÇÕES PARA PARTICIPAÇÃO NOS MINICURSOS
INSCRIÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÃO ORAL INDIVIDUAL
INSCRIÇÕES PARA OUVINTES

Além da possibilidade de se inscrever para cursar os minicursos com ministrantes convidados pela Comissão Organizadora, será possível inscrever trabalho para Comunicação Oral Individual. As sessões de comunicação individuais terão uma hora e meia de duração e serão organizadas de forma temática pela comissão, de acordo com o foco apontado pelo autor ao submeter seu trabalho. É preciso na ficha de inscrição disponibilizada pela Comissão do Seminário de Atividades Acadêmicas marcar a alternativa “Linguística Aplicada” para ser direcionado para o nosso evento. Podem apresentar trabalhos nessa modalidade alunos de graduação, alunos de pós graduação, professores da rede, pesquisadores e profissionais da área.
A seleção dos trabalhos será realizada pela Comissão Organizadora e Científica do evento.
Normas para Elaboração e Submissão de Resumos:
1. Os resumos deverão conter no mínimo 200 palavras e, no máximo, 300 palavras;
2. Os autores não deverão se identificar no corpo do texto, para que o processo de avaliação não seja comprometido. É preciso incluir até três palavras-chave ao final de cada resumo;

3. Os resumos devem conter as seguintes partes: contextualização,objetivos, revisão de literatura, metodologia, resultados, conclusões.

Mais informações: http://www.seminariodelinguisticaaplicadaufop.blogspot.com.br/

O americano Noam Chomsky é o próximo linguista a quem faço referência ressaltando uma característica especial de seu trabalho. Além de teórico da sintaxe, do gerativismo e do programa minimalista (versão atual da gramática gerativa), o cientista da linguagem assume importante posição como ativista no cenário geopolítico. Não poderia ter sido melhor encontrar este texto (adaptado abaixo) que enfoca seu posicionamento crítico no momento, pois é uma notícia de 17/06/2013 que ainda apresenta um pouco de sua atuação como linguista.

Chomsky: “Estou com os manifestantes do Brasil”

por Camila Nobrega do Canal Ibase
Enviada a Bonn (Alemanha)

Cercado de jornalistas e curiosos de pelo menos 30 países, na noite desta segunda-feira (17/6), o linguista e crítico político de renome mundial Avram Noam Chomsky, de 84 anos, caminhava lentamente para se retirar da plenária após sua palestra no Forum Global de Midia, em Bonn (Alemanha). Estava acompanhado de seguranças e assessores que tentavam manter todos afastados e não parecia disposto a responder mais indagações. Em uma fileira formada ao lado dele, consegui gritar uma pergunta. Ao ouvir as palavras “Turquia” e “Brasil”, Chomsky virou-se para mim, respondendo-a:

– Embora sejam protestos diferentes e com suas peculiaridades, as manifestações nos dois países são tentativas de o povo recuperar a participação nas decisões. É uma forma de ir contra o domínio dos interesses de grupos econômicos. Acho ambos muito importantes e posso dizer que estou com os manifestantes – disse o linguista, entusiasta do movimento “Occuppy”, declarando apoio ao movimento que toma as ruas de cidades brasileiras e também aos manifestantes turcos.

(…)

– Trata-se de um movimento global contra a violência que ameaça a liberdade em diferentes países. As pessoas estão indo as ruas para defender bens comuns, aqueles que são compartilhados dentro das sociedades. O capitalismo baseado na massificação de privatizações não compreende a gestão coletiva, aí esta o problema. Os movimentos que ocorrem neste momento são legítimos, na tentativa de recuperar a participação popular na gestão destes bens.

(…)

Autor de mais de 70 livros e considerado um dos principais intelectuais vivos atualmente (a quantidade de vezes que ele aparece em citações bibliográficas nos dias de hoje se assemelha a de grandes filósofos, como Platão), Noam Chomsky é, na verdade, um grande defensor da capacidade humana de criar e de se libertar de estruturas de dominação. Seus pensamentos vieram a público no início da década de 1960, quando ele fez uma crítica aberta a outros linguistas, atacando a noção de behaviorismo, segundo a qual o ser humano aprende apenas por imitação. Chomsky defendia, já àquela época, a existência de uma capacidade inata do ser humano de se expressar, de diferentes formas.

Ao longo dos anos, ele foi adaptando este pensamento a um contexto político e se tornou um dos mais vorazes críticos do sistema político-econômico e também cultural dos Estados Unidos. Nascido na Filadélfia, ele se tornou uma voz dissonante dentro do território norte-americano.

Frente a uma plateia composta de pessoas vindas de todo o mundo para a conferência em Bonn, mas majoritariamente de europeus, o discurso de Chomsky pareceu soar um pouco anacrônico. Foi o que se ouviu nos corredores. Não foi essa a interpretação, porém, de participantes vindos de países africanos em desenvolvimento. Não houve também anacronismo para os representantes turcos que estão por aqui, ou de outras pessoas vindas da região que vive hoje a Primavera Árabe. Para estes grupos, nos quais o Brasil parece se incluir, uma fala de Chomsky ecoou:

– O termo democracia pode parecer óbvio para alguns, e aí está a ameaça. Há vários tipos de democracia, várias formas de aplicação deste conceito. O que podemos pensar é: este tipo de democracia onde a esmagadora maioria da população não tem participação alguma é a que queremos?

Leia na íntegra em: http://www.canalibase.org.br/chomsky-estou-com-os-manifestantes-do-brasil/