Posts com Tag ‘jornal’

Reproduzo o comunicado recebido do editor desta revista portuguesa, Tiago Lima, bem como
recomendo a leitura dos artigos, cujos temas principais são comunicação, mídia, internet
e afins. De modo especial, interessei-me pela proposta do trabalho: "Problematizar para
intervir: rádio online e educação para os media como estratégia de inclusão de jovens", 
produzido por Maria José Brites, Sílvio Correia dos Santos, Ana Jorge e	Catarina Navio.

Crédito: © mapoli-photo

Crédito: © mapoli-photo

*********************************************************************
Dear Colleagues,
 
We are pleased to announce that (OBS*) Observatorio journal's latest issue
is now available.
 
Vol 8 No 1 (2014), including contributions from scholars from Spain, Sweden,
Portugal, Colombia, Australia, Pakistan, Greece and Cyprus, published in
English, Spanish and Portuguese, is now available to any interested reader,
free of charge – simply go to the website
[http://obs.obercom.pt/index.php/obs] and register.
 
OberCom, Observatory for the Media, is one of Portugal’s premier centres
on media research. Its peer-review journal, Observatorio(OBS*), is an
online, multimedia, open access, academic character publication. It is an
interdisciplinary e-journal which, although focused in communication, is
opened to the contributions of other subjects which claim themselves as part
of the Communication Studies’ areas, from academia to the business-related
world.
 
Observatorio (OBS*) e-journal is a publication with international character,
which accepts and publishes texts written in Portuguese, Spanish, Catalan,
Galician, Italian, French and English.
 
We hope you will find this project of interest to your research activity and
that, in a near future, we will be able to count with your work among the
authors published at Observatorio (OBS*) journal.
 
Gustavo Cardoso and Rita Espanha
Editors
 
Tiago Lima (Tiago.lima@obercom.pt)
Journal Manager
___________________________________________________
Caros colegas,
 
É com satisfação que anunciamos o lançamento do mais recente número da
revista académica Observatorio (OBS*).
 
O Vol 8 No 1 (2014) inclui contribuições de investigadores de Portugal,
Suécia, Colômbia, Espanha, Austrália, Paquistão, Grécia e Chipre. Os
textos presentes neste volume encontram-se publicados em Inglês, Castelhano
e Português, disponíveis para consulta por parte dos leitores interessados
– bastando, para tal, navegarem até
[http://obs.obercom.pt/index.php/obs].
 
OberCom, Observatório da Comunicação, é um dos centros portugueses de
investigação em comunicação. A sua revista Observatorio (OBS*) é uma
publicação online, multimédia, em open access, e de características
académicas. Trata-se de uma revista interdisciplinar que, embora focada na
comunicação, se encontra aberta às contribuições de outras áreas que
se reclamem parte dos estudos da comunicação, desde a academia até ao
mundo empresarial.
 
Observatorio (OBS*) e-journal é uma publicação de alcance internacional,
que aceita e publica textos escritos em Português, Inglês, Francês,
Italiano, Castelhano, Catalão e Galego.
 
Esperamos que este projecto editorial seja de interesse para o seu trabalho
de investigação e que, num futuro próximo, possamos contar com trabalhos
seus entre os autores publicados pela Observatorio (OBS*).
 
Gustavo Cardoso e Rita Espanha
Editores
 
Tiago Lima
Journal Manager, OBS
 
Observatorio (OBS*)
Vol 8, No 1 (2014)
Table of Contents
http://obs.obercom.pt/index.php/obs/issue/view/40
 
Articles
--------
Framing the Financial Crisis: An unexpected interaction between the
government and the press
	Kajsa Falasca
 
A clearer picture: Towards a new framework for the study of cultural
transduction in audiovisual market trades.
	Enrique Uribe-Jongbloed,	Hernán David Espinosa-Medina
 
A mediatização da dengue na imprensa portuguesa:  Os casos do Público,
Expresso, Jornal de Notícias e Diário de Notícias
	Felisbela Lopes,	Rita Araújo
 
Tendencias de uso de YouTube: optimizando la comunicación estratégica de
las universidades iberoamericanas
	Alba Patricia Guzmán,	Maria Esther Del Moral
 
Inevitabilidade Digital: O Poder dos Laços Fracos, Convergência e
Curiosidade na Disseminação do Stuxnet
	Hugo Filipe Ramos
 
Mediating the voice of personal blogging: an analysis of Chinese A-list
personal blogs
	Jianxin Liu
 
Problematizar para intervir: rádio online e educação para os media como
estratégia de inclusão de jovens
	Maria José Brites,	Sílvio Correia dos Santos,	Ana Jorge,	Catarina Navio
 
Service Quality of News Channels: A Modified SERVQUAL Analysis
	Muhammad Mursaleen,	Mubashir Ijaz,	Muhammad Kashif
 
Las prácticas auto-promocionales en el discurso periodístico de TVE
	Marina Santín Durán
 
The Internet as a source of information. The social role of blogs and their
reliability
	Maria Keskenidou,	Argyris Kyridis,	Lina P. Valsamidou,	Alexandra-Helen
Soulani
 
 
__________________________________
Observatorio(OBS*)
http://obs.obercom.pt/index.php/obs
Anúncios
A MÍDIA num blog exploratório

Clique na imagem para acessar o texto e depois na seta para iniciar a apresentação da multimídia, que será melhor visualizada em tela cheia. Boa experiência de leitura!

A montanha de notícias veiculadas pela mídia a respeito dos manifestos que ocorreram em diversas capitais brasileiras em 17/06/2013 pode render uma bela aula de interpretação de textos.

Para auxiliar nesta tarefa convoco o professor Luiz Antonio Marcuschi, porque ele escreveu sobre verbos introdutores de opinião e observou o seu  funcionamento especificamente “no noticiário político dos jornais diários” (MARCUSCHI, 2007. p. 146). A tentativa é  responder de forma breve a duas questões colocadas pelo autor:

1) “será possível informar opiniões sem manipulá-las?”

2) “qual a estratégia usada pelos jornais na informação de opiniões?”

A notícia selecionada foi publicada pelo site do jornal Zero Hora, de Porto Alegre/RS, em 18/06/13, na seção Geral e diz respeito a pronunciamento do governador do estado (Tarso Genro) acerca dos protestos ocorridos na noite de segunda-feira (17/06) na capital gaúcha.  A manchete e o respectivo lide são os seguintes:

Tarso: “A orientação era reagir para defender a integridade física das pessoas”

Governador defendeu a atuação da Brigada Militar nos protestos da noite desta segunda-feira

tarso

Os dois pontos e a inserção aspeada em produções textuais exemplificam dois recursos linguísticos empregados com a finalidade de relatar opiniões, os quais entram sobretudo na composição de manchetes como a que fora apresentada acima. A opção do produtor da notícia demonstra uma estratégia para jogar a responsabilidade pela informação ao seu próprio emissor (Tarso).

Quanto aos verbos, destaco a seleção de “reagir” e “defender”, os quais indicam, pela classificação de Marcuschi, retomadas opositivas e organizam aspectos conflituosos. Logo, na opinião expressa com as palavras exatas do governador, os protestos noticiados são tomados predominantemente como situação de conflito, mesmo que parcela mínima de manifestantes seja responsabilizada por isto: “Uma pequena parte dos manifestantes queria a depredação” (fala reproduzida de Tarso Genro), “uma minoria depredou uma concessionária de motos” (descrição do jornalista).

Já no lide, com o uso do verbo “defendeu” o produtor resume a notícia atribuindo ao governador o papel de defensor das ações tomadas pela polícia, as quais foram orientadas por quem?? A partir do momento em que há necessidade de defender uma posição ou ação é porque esta provavelmente gera controvérsia. E a justificativa da defesa pode ser esta observação nada inocente do jornal: “A Tropa de Choque da Brigada Militar reagiu com bombas de efeito moral para [dispersar] os manifestantes e houve confronto.”

Por fim, encerro a análise destacando o quanto pode ser transformador para o aluno ter a oportunidade de desenvolver e aprimorar a habilidade de leitura crítica, coisa que a Linguística Textual oferece com bastante propriedade, e lembrando ainda que:

é muito difícil informar sem manipular, por melhores que sejam as intenções. Portanto, as estratégias jornalísticas para relatar opiniões não são uma mera questão de estilo, pois as palavras são instrumentos de ação e não apenas de comunicação (MARCUSCHI, 2007, p. 168).

Leia mais em: MARCUSCHI, Luiz Antônio. A ação dos verbos introdutores de opinião. In: ______. Fenômenos da linguagem: reflexões semânticas e discursivas. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007. p. 146-168.